Coronavírus: Como a economia fica?

Coronavírus: Como a economia fica?

O termo mais falado nos últimos dias é o Coronavírus e todas as nuances que podem existir, mas é preciso ir além. Falar sobre a economia, no nível mais básico, é o que pode fazer as pessoas se preparem para esse cenário.

Certamente que serão dias assim, podendo se tornar semanas ou, no pior dos cenários, até meses. Bem como, é importante entender como dois setores podem lidar com isso, se tratando da prestação de serviço e dos comerciantes.

O Coronavírus oferece riscos e é fundamental seguir as dicas básicas de higiene, porém o foco do texto é a economia. Dessa forma, é chegada a hora de obter todas as informações e veja como fica o cenário econômico a seguir.

Coronavírus: Como fica para os prestadores de serviço e comerciantes?

No dia 16/03, Paulo Guedes, Ministro da Economia, divulgou uma série de medidas para lidar com o Coronavírus. Embora não dê para saber se irá funcionar, fato é que devem ser citadas e abaixo veja os três pontos principais:

  • Adiamento de impostos para tentar preservar empregos;
  • Antecipação de aposentadorias e abono;
  • Mais R$ 4,5 bilhões para o Ministério da Saúde.

Essas informações foram abordadas em jornais, sites de notícias e com dados técnicos, mas é preciso “trazer para a base”. Assim, se trata de mostrar naquilo que afeta a maior parte das pessoas: prestadores de serviço e comerciantes.

O cenário pode não parecer positivo, mas fato é que dá para superar e o principal é seguir algumas dicas. Logo, a primeira é ligada ao fato de respeitar o que os especialistas em saúde pregam e não desobedecer às recomendações.

Para entender melhor essas questões, serão citados a seguir alguns pontos importantes e que merecem uma reflexão de sua parte. Afinal, cuidar da saúde é importante e preparar-se para os próximos dias também é relevante.

Prestadores de serviço: Como fica com o Coronavírus

O cenário é um tanto preocupante e o Brasil vive uma pandemia, porém é preciso trabalhar e seguir a vida. No caso dos prestadores de serviço, segundo o último dado do IBGE, de 2014, davam 13 milhões de empregos em todo o Brasil.

Fica claro que grande parte das pessoas trabalham no setor de serviços e é aqui que se torna essencial ter um diálogo com a chefia da empresa. Além disso, o trabalho remoto tem sido um caminho e permite trabalhar de casa mesmo.

É provável que algumas ocupações não permitam isso e por isso as empresas tem oferecido jornadas flexíveis. Assim também, devido a suspensão as aulas das crianças e adolescentes, os gestores tem facilitado a vida dos pais.

O que fazer para não sofrer com a crise?

A princípio, o pensamento comum seja de estocar alimentos, itens de higiene e remédios, mas é importante ter calma. Da mesma forma, o Coronavírus é agressivo apenas com o grupo de risco e a seguir confira algumas dicas:

  • Se você for idoso ou possuir doenças crônicas (diabetes, patologias degenerativas ou algo que afete o sistema imunológico) evite sair menos ainda.
  • Ao mesmo tempo, procure sair de casa apenas se for muito necessário e evite locais que tenham grande aglomeração de pessoas.

O caminho mais interessante é argumentar com os seus superiores e tentar manter-se em casa o máximo possível. Em seguida, com o tempo e o Coronavírus sendo superado, a vida, aos poucos, deve voltar ao normal.

Atenção: pense na sua saúde

Nas redes sociais, está rolando um movimento que pede aos “padrões” que paguem os profissionais autônomos normalmente. Por exemplo: as diaristas e as empregadas domésticas são pagas como se estivessem trabalhando.

A princípio, é importante pensar na sua saúde e não em questões monetárias, por mais que pareça tentador. Se você estiver com tosse seca, febre e dificuldade para respirar, procure um médico e faça o teste do Coronavírus.

Busque lavar as mãos com água e sabão, use álcool em gel para higienizar e, se for tossir, cubra a boca com os braços. Igualmente, evite compartilhar objetivos pessoais e deixe os ambientes com ventilação natural para se proteger.

Comerciantes: O cenário é preocupante com essa ameaça?

Em primeiro lugar, sem clientes não tem como vender e nem movimentar a economia, afetando todo o cenário econômico. A dica é simples: procurar ficar em casa e não sair, portanto, o comércio terá uma baixa pelos próximos dias.

O comerciante tem suas contas para pagar e as mesmas não vão parar, mas é importante pensar na sua saúde. Do mesmo modo, se você tiver que fechar o estabelecimento e não for te prejudicar muito, procure não abrir.

Em questões financeiras, é provável que exista uma baixa e cada vez mais é comum que as empresas incentivem o trabalho remoto. Se o Coronavírus seguir se propagando, a tendência é que as pessoas fiquem cada vez mais em casa.

Existe algum “remédio” para a crise?

Toda crise passa e nada dura para sempre, conforme aquele ditado já popular e amplamente conhecida. Assim também, o cenário vai mudar e depende muito da força da população, sempre seguindo as dicas dos profissionais da saúde.

Sair de casa, abrir o estabelecimento comercial e tentar vender, monetariamente é uma medida lógica para esse momento. No entanto, se você tem contato com o público, a chance de pegar o Coronavírus também pode ser maior.

Imagine se o seu comércio receber públicos de todas as idades e correr o risco de se tornar um “vetor de contaminação.” Sim, as palavras foram fortes e talvez tenham te dado medo, porém é melhor se prevenir do que depois remediar.

Atenção: não cobre valores exagerados por itens básicos

Se você vende máscaras de proteção, luvas, álcool em gel, sabão e remédios contra resfriado procure não subir os valores. Saiba que o Procon pode te autuar e basta que algum cliente denuncie, além de ser uma medida oportunista.

É necessário ter uma visão humanitária dessa pandemia e não pensar apenas no dinheiro, pois pessoas podem morrer por essa ganância. Sendo assim, é fundamental ter essa visão e procurar exercer a sua cidadania.

O Coronavírus traz complicações para a economia, mas acredite: é mais perigoso para a saúde das pessoas. Uma população viva consegue recuperar o tempo perdido, porém se estiver morta, é impossível.

 

 

Fechar Menu